sábado, 25 de abril de 2015

(Resenha #01): O Outro de Bernhard Schlink

         Bengt era casado com uma violinista famosa chamada Lisa, quando o casal descobre que ela tem câncer inoperável e intratável, Bengt cuida dela até seus últimos dias de vida.
        Após a morte da esposa, sua filha lhe chama para passar um tempo com ela, e ele recusa o convite. Alguns dias passam quando recebe uma carta destinada para Lisa, a principio é normal pois muitas pessoas ainda não sabem de sua morte, mas ao abrir a carta e lê-la parece que seu mundo desaba, Bengt descobre que sua esposa tinha um caso com um outro homem, chamado Rolf, mas que pelo resto do livro se dirige a ele como O outro.
     
             Bengt decidi respondê-lo dizendo que ela morreu, mas o outro não entende isso, e ambos mandam cartas um para o outro, até que ele abre um compartimento escondido do criado mudo de sua esposa que só teve conhecimento dele após sua morte e elá encontra cartas que o outro mandava para Lisa. Bengt lê todas e depois escreve outra carta para o outro e liga para sua filha pedindo para visitá-la.
        Quando chega na casa dela, ela logo pergunta sobre o que ele queria conversar, mas Bengt alega que é melhor terem a conversa no dia seguinte, sua filha lhe diz que por causa da ausência do pai em sua infância prefere conversar agora. Ele faz a pergunta que pensou a viajem inteira para fazer, até que ela o reprime dizendo que era uma vergonha fazer aquela pergunta sobre sua mãe ter outro homem, depois fala sobre o café da manhã o horário que ela acorda e lhe mostra o banheiro, mas na hora de se retirar recusa o abraço de seu pai, Bengt não se sente a vontade naquela casa, não sabe como a filha se tornou uma mulher tão amarga então decide ir embora se despedindo por um bilhete.
        Bengt passa um tempo na cidade onde o outro mora, e logo começam a conversar e o outro a se gabar de suas habilidades, até pedir dinheiro para Bengt ele pede, Bengt empresta o dinheiro mas também não se esquece de pedir para que sua empregada continue enviando aquelas cartas. Um dia Bengt descobre que Rolf na verdade mora no porão de um famoso edifício e que cria tartarugas.
        Um desses encontros dos dois, Rolf lhe fala sobre que receberá a visita de um violinista velha amiga e lhe pede 3 mil emprestado, Bengt lhe dá o dinheiro, após um tempo correndo com os preparativos, Bengt decide contar a verdade, e confessa tudo para Rolf, lhe dizendo da sua falecida esposa e que leu todas as cartas, Rolf por sua vez na defensiva lhe fala que Lisa amava Bengt mais que a ele, e que não sabia o por que o amava tanto, pois ele era muito amargo. E com essa discussão Bengt volta para casa e descobre que a faxineira não está mais, que a casa está fedendo e após um dia inteiro limpando dorme.
        Mas no dia seguinte acorda do mesmo modo como havia acordado semanas atrás, e continua com aquela sua rotina.  Quando o dia do jantar chega Bengt decide ir quando chega lá é bem recebido por Rolf, que é a estrela do local. Quando o outro se põem de pé os outros ficam em silêncio, e ele começa a falar sobre Lisa e sua morte que ela não comparecerá aquela noite, mas que foi uma violinista famosa, que fora casada com Bengt. Após seu discurso acabar outros a mais começam.
        Quando a festa acabou, Bengt se despediu e ficou vagando pelas ruas até pegar o trem, e pensou em como será bom acorda de manhã em sua casa e escutar o canto dos pássaros.
        Gostei muito desse livro, mas achei que o autor quis acabar logo com a história, eu achei o final meio inacabado, acredito que o autor quis dar um fim na história.
        Esse livro serviu de inspiração para o filme "O amante" que trarei para o blog mais a frente.


Informações:
Publicado pela editora Record em 2009.
95 páginas
Autor: Bernhard Schlink