quarta-feira, 20 de maio de 2015

(Resenha #02): Viagens na minha terra de Almeida Garret

          Olá pessoal, voltei, depois de tanto tempo, trouxe a segunda resenha de livro do mês de maio. Mas antes quero explicar por que estive tanto tempo sumida, estava doente com a garganta inflamada, passei muito mal, mas enfim, vamos agora para a resenha.
          O livro começa com Almeida Garret contando o que está se passando em sua volta. Mas assim que acaba essa breve explicação, ele começa a colocar sua obra como superior às demais obras de outros escritos de nacionalidades inimigas à sua, que no caso é França e Espanha. E isso ele deixa bem claro logo no começo do livro.
       
             Dentre sua viagens, ele passa no Vale de Santarém, onde se depara com a menina dos rouxinóis, e a partir daí, ele começa a contar a vida dessa menina além de acompanhá-la, seu nome é Joana, mas é conhecida pelas pessoas do Vale e pelo próprio Garret como Joaninha. E dentre essa história, ele apresenta o frei Dinis, o mesmo, por ser muito fervoroso em sua religião, ele se irrita/ão gosta que Carlos (primo de Joaninha) leia certos livros que não são da bíblia.
         Carlos acaba saindo de casa, por causa do Frei Dinis, e é aqui que entra um dos maiores, se não o maior, mistério do livro, pois Carlos alega sair de casa por um pecado entre frei Dinis e sua avó, que ele tem conhecimento. Ele acaba servindo a guerra e depois de algum tempo retorna e vê Joaninha, quando Almeida descreve esse encontro percebemos que ambos se amam, mas não como primos e sim como amantes.
         Nunca li um livro tão chato na minha vida como este. É uma leitura muito difícil e complicada além de ser tediosa. Só fica um pouco interessante é no meio do livro, quando começa a contar a história de Joaninha.
         Na minha opinião, Almeida Garret, é metido e egocêntrico, só fala bem de Portugal, como se ele fosse maravilhoso, coisa que não é. Mas o que tem de tedioso no começo tem de maravilhoso no final. O modo como ele descreve a paisagem, como ele fala dos personagens como ele os descreve é lindo, mas ao mesmo tempo tedioso de ler tudo aquilo, mas leia esse livro, é a experiencia de um tipo de leitura diferente.