segunda-feira, 15 de junho de 2015

(Resenha #05): Memórias de um Sargente de Milícias de Manuel Antônio de Almeida

      Olá, vamos a mais uma resenha? Bom, hoje temos um livro que à muito estava pensando em trazer, mas antes vamos às informações.

Informações:
Título: Memórias de um Sargente de Milícias
Autor: Manuel Antônio de Almeida
Editora: Avenida
Nª de Capítulos: 25
Nª de Páginas: 112

Resumo (sem spoilers) 
           O livro narra a história do Leonardo desde antes de seu nascimento, quando sua mãe, Maria, e seu pai Leonado-Pataca, começaram o seu namoro. Após seu nascimento, seu pai descobre as traições de sua amante, mãe do menino, e a mesma foge com um capitão para Portugal após ser expulsa de casa pelo seu ex-amante. E Leonardo-Pataca desconta seu ódio no menino, dando-lhe um pontapé.
           O padrinho se comoveu com tudo isso, e passa a cuidar do garoto; ao longo dos anos, o garoto aprontava muitos com todas as pessoas, e a vizinhança fala com o compadre que aquele garoto não é boa coisa, mas ele insiste em fazer do garoto um homem de bem, até o coloca na escola, mas o mesmo sai e arranja um emprego na igreja, e depois de aprontar lá também, é demitido.
           Em um determinado momento, o compadre e o garoto passam a frequentar a casa de D.Maria, uma viúva que após a morte de seu irmão, cuida da sobrinha, Luisinha. E o garoto acaba se apaixonando pela menina, e chegou até a se declarar para ela, mas no meio desse romance, aparece José Manuel que querendo casar com Luisinha se aproxima de D.Maria conquistando a confiança dela aos poucos. Com quem será que Luisinha vai ficar?
         
Crítica (sem spoilers)
           Antes de focar na crítica da história, gostaria de falar sobre a editora, caros leitores, caso você for comprar esse livro, não compre da editora Avenida, pois é uma edição um tanto mal feita, você fica com sono, não por causa da história, e sim por que as letras são excessivamente pequenas, foi uma economia de papel que nem parece que tem o texto integral da obra literária.
           Focando na obra literária; quando pensamos em livros antigos e especialmente românticos pensamos naquelas histórias água com açúcar, não é mesmo? Mas não é isso o que acontece em Memórias de um Sargento de Milícias, aqui temos um romance revolucionário, onde o autor no lugar de um herói como protagonista, coloca um anti-herói. E não é só isso não, aqui os amores são muito mais próximos da realidade, como podemos ver representado claramente em Vidinha, que ama uma pessoa e se não dá certo, parte para o próximo, além também de o livro ser uma forma de critica a época em que foi escrito, pois naquela época nem todos eram penalizamos pelas leis.
           Esse livro é fantástico, se você ainda não o leu, eu recomendo, te garanto que a história é maravilhosa, mas leia sem preconceito por ser um clássico, leia como se fosse qualquer outro livro que você lê e não se deixe enganar pela escrita um tanto pomposa, lembre-se: todo clássico de hoje foi um Bestseller no passado.