quinta-feira, 2 de julho de 2015

Resenha: Billy Elliot

           Olá, faz tempo que eu não trago alguma resenha sobre filmes, mas é porque faz tempo que não assisto filmes, mas hoje, meu primeiro dia de férias, trago um.

Ficha Técnica
Título: Billy Elliot
Direção: Stephen Daldry
Gênero: Comédia Dramática
Duração: 111 minutos

                                                                                    Resumo:
         
         Um jovem chamado Billy Elliot é posto pelo pai em aulas de boxe, mas na mesma academia há aulas de Ballet. Billy vai sempre nas aulas até que percebe que o forte dele não é o boxe e sim a dança, e passa a frequentar as aulas de Ballet ao invés das de boxe (escondido do pai). O pai de Billy acaba descobrindo aquilo e proíbe o garoto de frequentar qualquer tipo de aula, mas ele sente que a dança é a vida dele, então passar a ter aulas particulares com sua antiga professora que sempre viu que ele tinha talento. Já fazia tempo que Billy estava dançando para assim fazer uma prova para poder entrar em uma real escola de Ballet, mas no dia da prova Billy não pode ir.
     
Crítica:
         Como lutar contra o preconceito quando ele está dentro da sua própria casa? Sim esse filme é muito sociológico.
       
         É importante destacarmos que Billy é filho de um homem que trabalha nas minas e está de greve, sua mãe está morta, seu irmão não é nem um pouco carinhoso e ainda tem que cuidar da sua avó, que várias vezes sai de casa sem rumo. Além de morar em uma comunidade e sofrer preconceito pela própria família por amar a dança. E mesmo com todas essas barreiras impedindo para que consiga seguir seus sonhos, ele não desiste, ele vai até o fim.
        Podemos ver claramente que as pessoas daquela comunidade são muito unidas, coisa que está faltando muito hoje em dia. O filme mostra como as crianças estão sendo influenciadas pelos problemas de casa, como por exemplo a filha da professora de dança, que tão pequena fala em fazer sexo com Billy. É um lindo filme, estimula a discussão sobre opções de escolha que fazemos e a influencia que recebemos da parte da família e da escola.