sábado, 18 de julho de 2015

(Resenha #11): O Leitor de Bernhard Schlink

          Olá, sei que ontem fiquei de trazer duas resenhas mas na verdade só trouxe uma, peço que me desculpem e tenho sim uma justificativa, é o seguinte, eu iria colocar a segunda resenha do dia durante a noite, mas antes eu fui dar uma lidinha para ver se conseguia colocar outra resenha, ficando no total 3 resenhas, o que não deu certo porque eu dormi durante a leitura. Então, depois de vocês descobrirem que eu sou uma dorminhoca, vamos às informações.

Informações
Título: O Leitor
Autor: Bernhard Schlink
Editora: Record
Nº de Capítulos: Na verdade é composto em 3 partes e dentro delas cada uma tem sua quantidade de capítulos.
Nº de Páginas: 239

Resumo (sem spoilers)
            O livro conta a história de Michael Berg, um garoto que aos 15 anos de idade teve hepatite e


por isso se distanciou da escola, e saindo de casa raramente. E em um desses passeios, Berg conhece Hanna, uma mulher vinte anos mais velha que ele, que trabalha nos bondes. Berg começa a frequentar a casa dela e em uma dessas vezes, ele acaba se sujando de carvão e tem de tomar banho em sua casa e nisso eles tem a primeira relação sexual.
            Nas visitas constantes de Berg, eles não só dormem juntos, como ela pede que ele leia para ela. E assim vai por um longo período, até que um dia Hanna some. Berg fica muito triste, mas aos poucos vai se acostumando, até se tornar uma pessoa fria, nesse tempo ele já está na faculdade de direito. No curso, seu professor marca uma atividade diferente, todos iam acompanhar um julgamento de pessoas que foram acusadas de serem guardas dos campos de concentração nazista, mais especificadamente algumas mulheres, e dentre elas Berg reconheceu Hanna, que agora era julgada por atrocidades cometidas durante o nazismo.



Crítica (sem spoilers)
             O livro se passa em uma época, após o nazismo, em que quem estava sendo caçado, eram os nazistas, para assim prestarem contas do que haviam feito e assim pagarem pelos seus erros.
             Eu gostei muito de como o autor colocou essa parte da historia alemã (após o nazismo) no livro, porque a maioria dos livros que falam dessa época (dos campos de concentração) focam mais durante o nazismo, não focam tanto no depois, e esse depois é muito importante, porque foi a parte da justiça, onde os nazistas tiveram que pagar.
             E outra coisa muito importante que o autor focou muito foi na seguinte situação: Todos foram alemães, mas nem todos foram nazistas. Isso quer dizer que mesmo muitos alemães nem terem nascido durante a guerra, mesmo assim levam essa culpa nas costas por coisas que não fizeram.E foi por esse fator que eu estou encantada por esse escritor maravilhoso, que aliás é alemão.