sábado, 13 de fevereiro de 2016

(Resenha #24) Rockfeller de Alexandre Apolca

   Olá, tudo bem com vocês? Espero que sim... O livro de hoje eu recebi de um Autor nacional, ele estrou em contato comigo e me enviou o livro para assim eu dar minha opinião, então vamos lá.



Informações
Título: Rockfeller
Autor: Alexandre Apolca
Editora: Nova Paris
Ano: 2015
Nº de Capítulos: 39
Nº de Páginas: 184

Resumo: O livro contará a vida de Beto Rockfeller, mas assim como no livro pelos amigos, também o chamaremos aqui de Rock. A história começa no final de um show, onde ele e sua banda, Escória Humana, seriam os últimos a tocarem, antes de todo o show ter fim, Rock fez um pronunciamento, chamando todos que ali estavam para sair e protestar.

" ... A apresentação chega ao fim, mas estamos convidando a todos vocês para nos reunirmos agora mesmo, lá fora, para irmos ao MASP. Iremos protestar contra o governo Sarney. Contamos com todos! Como disse Abraham Lincoln 'Percar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes" (Pág 12) 

    Pouquíssimas pessoas foram, mas mesmo assim não voltaram atrás, até que Rock viu um badernista começar a depredar a propriedade pública e foi tentar parar o homem dizendo que quem pagaria por aqueles danos seria o próprio povo, o outro estava nem ai e começaram uma briga, foi ai que a polícia chegou. Quando indagaram o que estava acontecendo, o outro homem mentiu, falando que Rock havia começado a depredar tudo e ele tentou fazê-lo parar sem sucesso, foi ai que mandou olharem na bolsa que na verdade era sua, mas ele afirmou que era de Rock, ao abrirem a bolsa encontraram coquetel molotov. E quem levou a culpa? Sim... Rock, que foi levado para a polícia.
     Com sorte e graças ao seu pai ter uma amizade com o delegado na época da faculdade, Rock conseguiu sair dali, mas foi avisado pela polícia que da próxima seria preso. Seu pai, então, decidiu mandá-lo para o interior e assim ele ficar longe de problemas, mas ao invés disso, Yakult, teve a ideia de todos irem para São Thomé das Letras e é claro que Rock foi.
     
"Eu devia deixar São Paulo, mas não necessariamente tinha que me me mudar para Piracicaba. São Thomé das Letras parecia uma boa ideia e, quem sabe, eu teria a companhia de alguns dos meus amigos"  (Pág 25)

     Lá na nova cidade, eles dão uma festa em sua casa e chamam muitas pessoas, quer dizer mulheres. Mas o que ele não pensava é que iria se apaixonar naquele momento, quando Gringo (um dos integrantes da banda) chega com Anita Andrade, a beleza em pessoa. 
     Rock e Anita começam a se envolver, mas infelizmente ela é diagnosticada com câncer e precisa urgentemente de medula óssea, e Gringo ao invés de ficar ao lado dela, afinal mesmo com o envolvimento entre ela e Rock, ainda eram namorados, ele volta para Inglaterra a deixando sozinha. Infelizmente o tipo que é compatível com ela é muito raro e a única pessoa que eles encontraram com o mesmo tipo para fazer a doação de medula, só doará se for pago com 2 milhões de cruzeiros. Rock é apaixonado por Anita e não aguentaria ver ela morrer, mas ele não tem aquele dinheiro.... Ele só tem uma decisão e ela moldará para sempre a vida dele.



Crítica:  O relacionamento entre eu e esse livro, é algo que foi se desenvolvendo, ele vai melhorando do começo até o final, no começo eu não achei muita graça o que mais tem é o protagonista bebendo, fumando e transando, tem um apelo político no meio, como você puderam ver no pequeno protesto, mas comparado ao restante do livro, não foi algo tão grandioso. 
    Quando o protagonista muda para a nova cidade é que o livro começa a ficar interessante, principalmente por causa do triângulo amoroso que se forma e da enfermidade que vem a ser de Anita. O final do livro é a melhor parte, eu amei o final, você não imagina o que vai acontecer, você acha que sabe, mas na verdade, nem imagina o que está se passando e só cairá a ficha no último capítulo, onde tudo começa a fazer sentido de uma forma que até hoje eu estou pensando na história. O autor conseguiu fazer uma reviravolta no último capítulo e finalizá-lo no último capítulo, isso eu achei maravilhoso...
    Não vou negar que teve vezes que eu tive vontade de estrangular o autor, por causa de algumas perdas e injustiças que poderiam ter sido evitadas, mas o autor simplesmente colocou o que mais existe aqui no Brasil, então é algo, meio que real, e eu me estressei e muito com essas injustiças (risada). 
    Eu adorei o livro, só dei 4 estrelas, porque o começo é bem parado e para mim foi bem chato, mas o restante do livro compensou o começo. E antes que eu me esqueça teremos intertextualidade de dois livros, o primeiro que você verá logo no inicio é uma frase que Machado de Assis utilizou na sua dedicatória do livro "Memórias Póstumas de Brás Cubas" só que ele modificou a frase e ela ficou assim: "Aos vermes, que um dia, irão me devorar" e também ao conto de Edgar Allan Poe, "O Corvo" que é praticamente um personagem secundário.
    Agora focando mais na edição... A editora fez um ótimo trabalho, o espaçamento e o tamanho das letras estão ótimo, as folhas são amareladas o que é melhor para a visão e a capa, mesmo parecendo de terror e o livro não sendo de terror, se você parar bem para perceber, é uma junção dos principais elementos da história: O corvo e uma igrejinha que vocês na leitura perceberão o quão importante ela foi na história de Rock.
    Bem... é isso, essa foi minha visão diante do livro, espero que tenham gostado. E aqui abaixo vão os contatos do autor, para vocês saberem um pouquinho mais dele, beijos e até a próxima